Entrevista da Anitta para revista Nylon Spain [Traduzido]

Seu compromisso (e suas conquistas) em empoderar mulheres com letras feministas tem sido muito elogiado com a mudança de gêneros musicais como raeggetón, tradicionalmente difamados por suas letras machistas … Como foi esse processo (mais de seis anos) para se posicionar  como um ícone feminista neste campo?

Meu trabalho é um reflexo de quem eu sou e do que penso.  E o que eu faço é me expressar através das minhas músicas.  Como mulher, acho que podemos fazer o que queremos.  E exercito muito essa idéia nas minhas letras, nas minhas atitudes …

Não tenho tempo para lidar com o que eles dizem sobre mim. Eu tenho outras prioridades.

Você percebe alguma diferença na maneira de entender e abordar o feminismo na América Latina em comparação com a Europa?  E entre Brasil e Espanha?

Olha, o que realmente acho importante notar é que o machismo é o mesmo em todo lugar. O feminismo é um movimento em busca da igualdade entre homens e mulheres.  Não é uma guerra dos sexos.

Posso dizer que no Brasil, o número de mulheres que são agredidas diariamente é alarmante.  O feminismo fala de respeito.  É bom que o movimento esteja ganhando força em todo o mundo, porque não é mais tolerado ver mulheres sofrendo assédio sexual, moral e tantas outras coisas horríveis.

O que você acha que Anitta pode fazer (ainda) como um ícone a favor da luta feminista?

Minhas atitudes não são pensadas para me tornar um ícone da luta feminista.

Meus gestos são espontâneos.  Eu faço o que realmente acredito.  É o meu jeito de ser.  Eu canto o que quero e isso me faz bem.  Mas me alegra ser uma inspiração para algumas mulheres que me veem como uma mulher forte e autojustificada.  A melhor coisa é que existem outras inspirações por aí também.  Eu acho ótimo que tenhamos várias mulheres incríveis como referências.

Recentemente, você colaborou com Madonna, uma pioneira lendária na luta pela igualdade das mulheres por meio da arte, do marketing … O que você aprendeu dela como precursora dessas questões?

Madonna abriu um caminho para todos.  Ela é realmente uma pioneira.

 Ela inovou e falou sobre assuntos em um momento em que ninguém ousava falar.

Igualdade, mulheres empoderadas, liberdade sexual … tudo o que o abordava em seu trabalho.

Minha colaboração com ela foi algo muito especial para mim.  Ela é uma demonstração de que nós, mulheres, podemos fazer o que consideramos melhor.

E como tem sido trabalhar com ela?  Alguma anedota que você pode nos contar?

Foi ótimo trabalhar com Madonna.  Nossa reunião foi muito boa.  Nossa música “Faz Gostoso” tem uma boa parte da letra em português, então eu a ajudei com a maneira como algumas palavras são ditas.  Ela me perguntou e eu a ensinei.  Ela é uma artista realmente incrível.

A Ciccone sempre foi professora quando se trata de explorar (e defender) sua sensualidade (e sexualidade), algo que você também levou ao seu trabalho e às suas letras, nas quais convida as mulheres a se encarregarem de seus relacionamentos.  já que eles apreciam o corpo e a sexualidade … Sabendo que você começou a cantar em ambientes religiosos, você poderia dizer que isso é algo inato em você?  Ou tem sido um caminho a percorrer?

Olha, é como eu disse antes.  Essa sou eu (risos).  Eu realmente acredito no que canto e nas minhas atitudes.

Eu realmente acredito que as mulheres podem e devem assumir as rédeas de uma conquista, por exemplo.

 Se esse é o seu desejo.  Porque acho que possuímos nossos corpos.

Eu acho que tudo isso é um reflexo de quem eu sou, da minha essência.  Eu luto por essa liberdade e a exercito.

“Sexy” é um adjetivo que, sem dúvida, muitos podem se relacionar com você e sua imagem … Mas o que está sendo sexy para você?

Minha mãe!  SEXY é um estado.  Além do olhar do outro, devo me sentir assim, sabe?

SEXY significa sentir-se confortável com minhas escolhas e ser quem eu sou.

E o que você vê dw sexy nos outros?

Atitude!  Pessoas com atitude são sexy.

Quem seriam os símbolos sexuais de Anitta?

Oh, que pergunta difícil!  (risos)  Minha lista muda com o tempo!  (risos)

Você colaborou praticamente com todos os representantes da música urbana atual e com todos os principais nomes da # latinogang … Todos os homens O que você pode nos dizer sobre esse processo criativo e de trabalho como uma mulher empoderada em um ambiente masculino?

Também colaborei com mulheres incríveis.  Eu acho que é importante esclarecer.  Mulheres inspiradoras e grandes artistas.  Eu me lido muito bem entre os homens.  Não é um problema para mim.  Talvez porque não vejo a diferença entre eles e eu (risos).  Em um trabalho, todos estão lá para colaborar.  E eu ajo assim.  E eu tinha colegas incríveis no meu trabalho, profissionais muito competentes.

Você se sente afortunada por ter coincidido no tempo e nas circunstâncias com essa “nova masculinidade” que alguns deles representam?

A verdade é que me sinto privilegiada por conhecer essas pessoas.  Não os vejo com esse “título”.  Eles são homens respeitosos, profissionais e competentes.  E eu aprecio poder trabalhar com cada um deles.

Como foi trabalhar com Balvin?

Balvin e eu temos uma música incrível. É realmente como um irmão. Nós nos entendemos com nossos olhos.

É sempre bom estar com ele.  A reunião funcionou tão bem que voltamos a trabalhar juntos outras vezes.

¿Y con Maluma?

Foi uma ótima colaboração também.  Nós não andamos por aí (risos).  Nós dois dizemos a nós mesmos o que pensamos.

Sabemos que vai custar a você escolher … Mas, Balvin ou Maluma?

Você não vai me colocar nessa situação!  (risos)

E se colocarmos Diplo na equação …?

Um artista sensacional.  Um ótimo colega musical, criativo!  Um encontro muito bom que eu tive também.

Você também trabalhou de mãos dadas com outras divas da música urbana, como Rita Orá, Becky G, Sofía Reyes … Há muito tempo, o tratamento da “diva” era sinônimo de briga de gatos quando ela se juntou a duas delas.  Mas você está em outra era e em outra onda, certo?  E a irmandade trabalhando com esses parceiros?  Como foi?

Comigo não existe, não.  (Risos) Eu gosto de fazer amigos, ter pessoas ao meu lado que queiram adicionar.  E tive muita sorte, porque encontrei colegas muito talentosos e sem essas vaidades.  Há admiração entre nós e foi muito bom trabalhar com essas mulheres.

Com qual ícone de todos os tempos (vivo ou não) você gostaria de fazer uma dueto?

Eu gostaria de fazer um dueto com Mariah Carey. Sou sua fã.

Você é considerada um ícone da comunidade LGTBIQ + em todo o mundo, mas é de um país que até recentemente não possuía legislação contra homofobia e transfobia (julho de 2019) Como você carrega essa dicotomia?

Estou muito feliz com o progresso que fizemos, porque tenho muito respeito pelo meu público e sei o quão importante é cada uma de suas conquistas.  Infelizmente ainda vivemos no meio de preconceitos, o que me deixa muito triste.

Ainda precisamos evoluir e há muito a conquistar até que se torne, de fato, uma sociedade mais igualitária e justa.

Você se declarou abertamente bissexual no mesmo ano em que o grupo colocou ênfase em tornar essa orientação visível e em seus videoclipes vemos você beijando meninos e meninas … Você decidiu normalizar isso em seu discurso?

Só publico algo que as pessoas mais próximas de mim já sabiam.  Nada mais.

Na sua música, a inclusão não apenas aponta para sexualidade ou igualdade de gênero … Também para a luta de classes.  Você parece querer mostrar a vida e a cultura das favelas além dos estereótipos.O que você pode nos dizer sobre isso?

Eu mostro muito da minha realidade, coisas que vivi.  Eu venho de uma família humilde de Honório Gurgel, subúrbio da cidade do Rio de Janeiro.  E tenho muito orgulho da minha história, de onde venho.  Eu acho que é importante mostrar a essas pessoas, mostrar nossa cultura.  O brasileiro é muito lutador e, apesar de tantas dificuldades, sempre sorri.

Nós o vimos em concerto (no Arenal Sound) e ficou muito claro que twerk é um dos seus talentos … Que conselho você nos dá para fazer o perreo perfeito?

(Risos) É necessário treinar.  Treine movimento suficiente.

Bem, parece que você vai nos revelar seus truques … Mas intuímos que dançar como você faz, é preciso muito exercício.  Você se esmaga muito na academia?

Eu exercito sempre que posso.  Às vezes, não é possível porque viajo muito para cumprir minha agenda de shows.  Não passo horas na academia todos os dias, não.  Mas eu gosto muito de dançar.  Dançar me dá prazer, é por isso que acho que é isso que faz a diferença.

Você treina procurando ser mais bonita ou mais forte e saudável?

Treino para me sentir bem, disposta e com meu corpo pronta para dançar e fazer shows.  É um ritmo intenso, então eu treino pensando na minha rotina.

Como a corrente positiva do corpo se encaixa em alguém que se declara fã de cirurgia estética e photoshop até que ele declara que levou o rosto refeito com essa ferramenta para o cirurgião plástico?

Eu vivo muito a minha verdade.  Eu queria fazer uma cirurgia e fiz.  Hoje estou bem comigo.

E acho que todo mundo precisa encontrar o caminho para ser feliz e se aceitar.  Eu respeito muito os outros.  Quero que todos sejam felizes do jeito que querem viver.

Você já declarou que é sua própria manager e tem muito orgulho de controlar todos os aspectos de sua carreira.  Sua imagem também é uma delas … Mas você tem um estilista?

Depois de cinco anos cuidando da minha carreira, agora tenho uma pessoa para pensar sobre isso para mim, um manager.  E estou muito feliz com essa decisão.  Eu tenho um estilista que cuida da minha aparência.

Nossa edição de setembro é dedicada à moda e nossa filmagem com você para clássicos da moda nas últimas décadas … Para você, o clássico é o mesmo que o básico da moda?

Há roupas que nunca saem de moda, você pode passar algum tempo e elas ainda estão muito presentes.  O clássico tem muito disso.  Eles são looks muito bem sucedidos.

E quais seriam os princípios básicos do seu guarda-roupa?

Minha mãe!  Meu armário tem tudo um pouco.  Mas o que você mais tem são aquelas peças realmente básicas.  Um vestido preto, por exemplo, não falha.

Chegou a hora de falar sobre o futuro …

Que rota você dá para o seu último álbum?

O álbum Kisses mostra as múltiplas versões de minhas personalidades artísticas.  E isso se reflete nas ações escolhidas com tanto cuidado.  O trabalho de divulgação continua no exterior.  E estou muito feliz com os resultados, especialmente aqui.

Acabamos de passar pela Espanha em turnê e ouvimos várias músicas tocando no rádio e em festas …

 Está muito bem!

Como é a Anitta 2020?  Quais projetos você tem para o próximo ano?

Olha, eu tenho muito trabalho para 2020, muitos projetos, mas ainda não posso falar muito sobre isso (risos).  Mas será um ano diferente para mim, é o que posso antecipar.  E estou muito empolgado com o que virá

E onde você se vê daqui a 10 anos?

Olha, que pergunta difícil … Não é a menor idéia (risos).  Só sei que quero ser feliz.  É isso que eu mais quero.  E me reinventar como artista.

Gostaria de tentar a sua sorte em outros aspectos artísticos além da música?

Eu amo produzir, por exemplo.  Talvez aja também.  Quem sabe?  (risos)  Mas sim, quero explorar outros aspectos.

Você confessou que é fã da “La Casa de Pape”  Gostaria de fazer uma participação especial nessa ou em outra série de sucesso?

Claro, seria um luxo!  (risos) Seria algo muito bom, sim.  Para fazer algo assim, preciso coordenar minha agenda.  Mas vamos encontrar uma maneira de fazê-lo 🙂

 

Fonte: Nylon Spain

Tradução: Anitta Daily

Anitta Daily